segunda-feira, 22 de Março de 2010

Meredith Baxter


Meredith Baxter, que ficou famosa no papel da mãe Elyse Keaton na série de TV "Quem sai aos seus", revelou que é lésbica aos 62 anos.

Em entrevista ao programa "Today Show", da NBC, nesta quarta-feira, 2, a actriz, que tem cinco filhos, conta que se descobriu há apenas sete anos, depois de se divorciar de seu terceiro marido.

Atualmente, Meredith mantém um relacionamento de quatro anos com Nancy Locke, que trabalha na construção civil. Durante o programa, ela diz que está muito feliz e que o apoio de sua família e amigos foi imediato.

sexta-feira, 22 de Janeiro de 2010

Jóhanna Sigurðardóttir





Jóhanna Sigurðardóttir (Reykjavík, 4 de outubro de 1942) é uma política islandesa, pertencente ao Partido Social Democrata, e atual primeira-ministra do país. Sigurðardóttir é a primeira mulher a ocupar o cargo de primeiro-ministro em seu país, além de ser a primeira chefe de governo declaradamente homossexual da história. A Islândia também teve a primeira mulher chefe de estado do mundo com a eleição da presidente Vigdís Finnbogadóttir em 1980. Ela anunciou que a prioridade de seu governo será a economia e a proteção às famílias do país, que foi fortemente atingido pela crise financeira iniciada no final de 2008.

terça-feira, 12 de Janeiro de 2010

Sinead O'Connor - Nothing Compares To You

Better Than Chocolate


Maggie (Karyn Dwyer) conhece a mulher dos seus sonhos, Kim (Christina Cox), horas antes de a sua mãe Lilia (Wendy Crewson), e o irmão, Paul (Kevin Mundy), mudarem-se para sua "casa". Quando os quatros acabam a partilhar o "lar", Maggie acha que deve manter a sua relação amorosa secreta mas é esse romance clandestino que inadvertidamente introduz a sua família numa séria de novas experiências, todas potencialmente melhores que chocolate.

terça-feira, 29 de Dezembro de 2009

Casamento Lésbico


Excerto do comunicado oficial do Conselho de Ministros, referente ao casamento homossexual:
1. Proposta de Lei que permite a realização do casamento civil entres pessoas do mesmo sexoEsta Proposta de Lei, a submeter à Assembleia da República, em cumprimento do Programa do Governo, visa remover as barreiras jurídicas à realização do casamento civil entre pessoas do mesmo sexo, colocando fim a uma velha discriminação e constituindo mais um passo na consagração de uma sociedade mais tolerante e mais justa, com mais igualdade para todos. Esta iniciativa legislativa inscreve-se num movimento legislativo mais amplo que, desde há algum tempo, vem promovendo uma sistemática reavaliação do nosso ordenamento jurídico, no sentido de combater as situações de discriminação dos homossexuais. Desse movimento sublinha-se a proibição de qualquer discriminação em razão da orientação sexual, introduzida na revisão constitucional de 2004, como corolário do princípio da igualdade.Passos idênticos têm vindo a ser dados em vários outros países – com destaque para a nossa vizinha Espanha, a Holanda, a Bélgica, a Suécia, a Noruega, a África do Sul e o Canadá, para além de alguns Estados dos Estados Unidos da América. Todas essas experiências, naturalmente ainda recentes, confirmam que esta proposta legislativa em nada contribui para diminuir o valor social da família e, pelo contrário, ao eliminar uma restrição discriminatória, tem o sentido de valorizar e promover o acesso ao casamento civil e à constituição da família, na sua diversidade.Assim, esta Proposta de Lei elimina das disposições relevantes do Código Civil as referências que supõem tratar o casamento necessariamente como contrato entre pessoas de sexo diferente, exercício que implica modificar a redacção dos Artigos 1577º, 1591º e 1690º, bem como eliminar a alínea e) do Artigo 1628º do referido Código.Neste contexto, este diploma diz apenas respeito ao casamento civil entre pessoas do mesmo sexo e não à adopção, que é questão bem distinta. Assim, esta Proposta de Lei afasta, clara e explicitamente, a possibilidade das alterações agora introduzidas no regime do acesso ao casamento se repercutirem em matéria de adopção

Cancro da Mama em Mulheres Lésbicas ou Bissexuais



As mulheres que amam mulheres têm maior risco de desenvolver cancro de mama e do colo do útero? A problemática é particularmente desconhecida entre este público. Ser lésbica ou bissexual não tem uma influência directa com a frequência dos cancros de mama ou de colo do útero. Mas existem certos factores de risco específicos entre as mulheres que amam mulheres. Aqui surge a importância de contemplar a informação correcta. Aceitar-se como mulher lésbica ou bissexual deve também trazer consigo o cuidado consigo mesma e ocupar-se de sua saúde. Quais são os factores de risco? • As mulheres lésbicas e bissexuais consultam menos aos médicos (por medo de reacções homofóbicas, utilização menos comum de tratamentos anticonceptivos) e se submetem mais raramente a exames diagnósticos (mamografias e papanicolau). • Como consequência da pressão social, as mulheres lésbicas e bissexuais podem em ocasiões sentir-se deprimidas e, portanto tomar menos cuidado com sua saúde. • Os estudos têm demonstrado que as mulheres lésbicas e bissexuais são mais reticentes em praticar regularmente o auto-exame de seus seios. • Como média, as lésbicas têm com menos frequência um filho antes da idade de 30 anos, fato que aumenta o risco de câncer de mama. Certos estudos indicam que as mulheres lésbicas e bissexuais podem, em certos momentos, consumir abusivamente álcool e cigarros, fatos que aumentam os riscos de Cancro de mama e do colo uterino.

Blog Lésbicas Portuguesas

Depois de um enorme e caloroso sucesso com o perfil do Hi5, decidi fazer um Blog para servir de complemento ao perfil e informar, aconselhar e mostrar tudo e mais alguma coisa acerca do que representa e é ser Lésbica em Portugal. Obrigada pelo carinho que todas vocês me tem dado, fazem sentir-me especial! :)